Para…. Nóia!

Quando a gente menos espera é que surgem as contradições. Sou um ser contraditório, tenho dito. Em vários aspectos. Mas falemos do querer….

Clamo por liberdade de querer, e nem sempre a exerço! Aliás, parece que quanto mais quero, mais confusa fico. Eu quero o que eu quero, ou eu quero querer o que eu não quero, ou eu não quero querer o que eu quero?

E tenho que confessar: ao longo da minha história, momentos chaves foram decididos com base nessa mesma pergunta. A pergunta está feita; ela motiva e conduz a muitos caminhos. Mas a resposta? Não sei!

Aliás, essa coisa de história é um saco. Acontece uma coisa uma vez, aí depois acontece algo similar e a gente fica com receio de estar acontecendo de novo, e aí a gente muda a conduta por causa disso, e acaba errando de novo por não querer errar ou pelo medo de errar!

A verdade é que… a razão não pára de gritar. Gritar pra que? O silêncio fala ao coração.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s