Bicho do mato. É assim que tenho me sentido nos últimos tempos, período no qual tenho vivenciado experiência incríveis em contato com a natureza e, claro, comigo mesma. O afastamento das tecnologias, do consumismo, das relações comerciais e das expectativas alheias (profissionais ou pessoais), mesmo que por poucos dias, fazem um bem danado pra alma, pro corpo, pro coração. Talvez porque nos colocam em contato com a nossa essência e ao lado de pessoas que compartilham filosofias similares. Ou talvez porque nos afastam da engrenagem do dia-a-dia, da rotina de trabalho, das pressões cotidianas do tempo e do dinheiro.

Não é fácil, mas posso dizer que é  o principal produto dessas experiências é “aprendizado”. Aprender a respeitar as pessoas, a natureza, o ritmo de cada um. Aprender a respeitar a si mesmo, conhecer-se melhor, reconhecer limites. Aprender que é preciso pouco para viver bem e menos ainda para ser feliz.

Viva as coisas simples da vida!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s